Pesquisar

The Miracle Coach

Mês

Março 2016

Ser Feliz

Não podes ser feliz enquanto acreditares que te falta algo para seres feliz. by Pedro Vieira

Anúncios

A Primavera é uma época particularmente dada a milagres de enamoramento. Aproveita e enamora-te por ti e pela vida!

Em que contextos se pode utilizar o Coaching?

Em que contextos se pode utilizar o Coaching? Sendo o Coaching a arte de conduzir conversas eficientes na exploração de caminhos alternativos entre o que é e o que queremos que seja, podemos afirmar que é utilizável em todos os contextos.

Podendo chamar-se de Coaching ou de outra coisa que faça mais sentido nos referidos contextos! 🙂

by Pedro Vieira (facebook.com/pedrovieira.pt)

“Enfrentarás a tua maior oposição quando estiveres perto do teu maior milagre”

“Enfrentarás a tua maior oposição quando estiveres perto do teu maior milagre”, escreveu Shannon Alder.

Posso, assim, receber com gratidão e entusiasmo as minhas dificuldades 🙂

Para sentir o milagre da vida basta respirar

Para sentir o milagre da vida basta respirar. Com consciência. Faz isso diariamente, durante uns minutos e outros milagres começarão a acontecer.

João Machado – Empreendedor

11249917_936617979743032_6412434861968471258_n

O João Machado é uma espécie de super empreendedor, que ajuda outras pessoas a descobrirem como lançar os seus projetos. Tem uma rara capacidade de ligar questões muito abstratas (como o propósito de vida) a questões eminentemente práticas (como as de usar as redes sociais e o marketing digital para lançar produtos e serviços). O João é, entre muitas outras coisas, CEO da Dharma5, um projeto de ensino online de desenvolvimento pessoal que em apenas um ano se tornou uma referência. Podes saber mais sobre a Dharma5 aqui.

 

TMC: Afinal, o que é isto de ser empreendedor com um propósito?

João: Bom, na realidade, acredito que uma pessoa que decide empreender tem algo em vista e esse algo pode ser chamado de propósito. Pode é ser um propósito a pensar exclusivamente em si… ou, em si e terceiros ou numa última parte apenas em terceiros. Eu saltito entre a 2ª e terceira opção :).

TMC: Porque é que a esmagadora maioria dos projetos empresariais não prospera?

João: Ao longo dos meus cerca de 10 anos a criar empresas e a acompanhar tantas outras, acredito que isso se deve principalmente a 3 factores.

1 – O produto ou serviço que estão a criar resolve apenas um problema ou ambição pessoal, ou seja é algo que não traz valor para outra pessoa (ou apenas para um grupo demasiado pequeno de pessoas).

2 – Falta de disciplina. Muitas pessoas começam com uma ideia e estão constantemente a alterar a mesma. Principalmente em alturas chave, fazendo com que não sejam reconhecidos como autoridade no tema/nicho de mercado.

3 – Tornam as coisas complicadas demais e ou não têm qualquer conhecimento de como se faz.

Elaborando um pouco mais esta última, várias vezes assisti a pessoas que querem começar algo, e que ao longo da sua vida investiram anos e milhares de euros em formação académica ou extra curricular. No entanto investem 0 a adquirir competências chave para começarem  um  negócio, ou seja não mostram o mesmo respeito por algo que muitas vezes dizem ser o seu sonho.

Um mentor uma vez deu-me a seguinte metáfora, é meio macabra mas ficou-me na mente exatamente por isso. Existem 2 formas de aprenderes a ser médico: na primeira tens aulas e depois tens a parte prática onde inclusive tens aquilo que se pode chamar um mentor a “tomar conta” de ti, não vás tu matar alguém; na segunda tornas-te um serial killer e vais fazendo tentativas cegas. Se conseguires durar bastante tempo antes que as autoridades te apanhem é possível que com os erros te tornes um bom médico e que até acabes por conhecer muito bem a anatomia humana!

E já agora, na segunda opção, onde vês escrito autoridade, na vida real podes substituir por dinheiro. Ou seja, a brincadeira acaba quando acaba o dinheiro e infelizmente é o que acaba muitas vezes por acontecer.

TMC: Como é que a era digital veio potenciar o empreendedorismo?

João: Uma palavra, democratização. Simplesmente devolveu o poder de volta ao “povo”. Vê só este pequeno exemplo. No passado para criares um anúncio precisavas de milhares, um anúncio nos anos 90 no canal 1 tinha o custo de 900 contos por segundo, 4500€ na moeda atual, fora os custos de produção. Ou seja, era para elites. O digital e principalmente as redes sociais acabaram com isso, o desafio está muitas vezes em as pessoas perceberem isso. Há adolescentes a fazerem milhões com estas novas oportunidades, é um El Dorado para quem sabe como fazer.

TMC: Como é que se pode treinar a capacidade de empreender?

João: A receita para mim é simples: modelar e se possível  conseguires mentores. Sei que a última parte pode parecer difícil, mas é na realidade bastante simples. Escolhes alguém que já fez o que tu queres e pedes para que essa pessoa seja tua/teu mentor. Feito. No entanto, antes de o fazeres pensa no que vale para ti essa pessoa dizer sim. Pensa nisso por uns momentos. Fiz muito pro bono no passado só para poder estar na primeira fila a receber o ensinamento e ter acesso a essa pessoa. Voltarei a fazer sempre que for preciso. Outra opção é ir a formações dessa pessoa que quero para meu mentor, escolhe no entanto formações com poucas pessoas.

TMC: Quais são as estratégias fundamentais que partilhas com quem ser empreendedor?

João: Adicionando às que referia acima, basicamente precisas de descobrir como consegues acrescentar valor a terceiros de forma a que eles se sintam contentes e felizes em fazer o mesmo contigo, ou seja retribuir. Isto é transversal a tudo na vida e talvez um dos grandes segredos . No dia em que descobrires quais são os teus super poderes e perceberes como consegues acrescentar valor serás livre para sempre.

TMC: Quais os teus projetos para os próximos anos, João?

João: Basicamente de há uns 2 anos para cá os meus projetos andam em redor de uma missão que neste momento está muito ligada a fazer chegar a um grande numero de pessoas, conhecimento que normalmente está “oculto” e que muda vidas.

Foi daí que nasceu a Dharma5. Mas fazendo um confidencia, sinto-me neste momento a expandir um pouco essa minha missão. Estou com vários projetos em mente com a intenção de mostrar de forma eficaz e clara que existe outra forma de viver esta coisa incrível a que muitos chamam de vida. Vão seguramente nascer projetos/empresas focadas em ajudar pessoas a chegarem ao seu ponto B de uma forma mais eficiente e muitas vezes não convencional ou mesmo disruptiva.

Parentalidade & Mindfulness

A Mikaela Övén, que entrevistei há duas semanas, faz partilhas diárias sobre Parentalidade e Mindfulness. Recomendo vivamente que sigas a sua página.

Podes ler a entrevista com a Mia aqui:https://themiraclecoach.com/2016/02/17/mikaela-oven-autora/

1928747_864127400365333_5597231337840164453_n

Susana Henriques – Atleta

11168076_791788127565597_5481768725981230745_n

A Susana Henriques tornou-se um caso inspirador para muitos milhares de pessoas ao passar por um incrível processo de transformação pessoal. Como concorrente no programa televisivo Peso Pesado, a Susana assumiu com coragem a sua vontade de mudar e alcançou resultados aparentemente inimagináveis. Falei com a Susana sobre o seu processo de transformação, certo de que as suas respostas vão inspirar muitos daqueles que procuram o “milagre” do emagrecimento. Podes seguir o facebook oficial da Susana aqui.

TMC: Susana, como conseguiste chegar ao peso com que entraste no Peso Pesado?

Susana: Eu era uma criança ativa, praticava ginástica, até ao dia em que o meu mundo desabou por ter perdido a pessoa mais importante da minha vida. A minha mãe morreu quando eu tinha 16 anos de idade. Na altura entrei numa depressão profunda que fez com que eu largasse a ginástica e começasse a refugiar-me na comida, começando a comer de forma compulsiva. E foi assim durante anos. Foi como uma bola de neve que não parecia ter fim até atingir o meu peso máximo de 170,9 kg

TMC: O que te fez, realmente, decidir que estava na hora de mudar?

Susana: Eu vivi em lares de acolhimento e ao longo dos anos, as educadoras foram tentando incentivar-me a fazer exercício físico e a fazer várias dietas. Mas acabava sempre por desmotivar e desistir, porque afinal, o que era perder apenas 2 kg num mês, em alguém com cento e muitos quilos?

Até que um dia vi o anúncio do programa “Peso Pesado” na SIC, hesitei em inscrever-me, muito por causa da exposição que sabia que ia ter, mas os amigos mais próximos, fizeram-me perceber que lutar por mim e pela minha saúde era bem mais importante do que qualquer coisa que pudessem dizer a meu respeito.

Tentei então a minha sorte. Fui selecionada no meio de 10.000 candidatos.

Lembro-me que no primeiro dia, tínhamos um desafio que consistia em atravessar uma piscina de lama, para ir ao outro lado buscar a bandeira da nossa equipa. Eu fiquei enterrada na lama, quase sem me conseguir mexer e a minha dupla perdeu o desafio e ficou em risco de ser eliminada.

Foi exatamente nesse momento, que eu percebi, que tinha mesmo que fazer qualquer coisa por mim, para que não ficasse “enterrada na lama” o resto da minha vida.

Se foi difícil? Foi pois….Se doeu? Claro que sim.

Se me apeteceu desistir? Tantas vezes

Mas hoje, olho para trás com a certeza de que todo o esforço, todas as lagrimas, todas as dores, valeram a pena e sou grata a todas as pessoas que me ajudaram neste processo. Desde toda a produção do programa, aos treinadores, às pessoas que me ajudaram depois do programa a continuar a minha luta porque quando o programa terminou ainda tinha 117 kg e por isso ainda houve muito trabalho ca fora.

E sou tão grata ao CrossFit. Foi uma modalidade que descobri durante o processo e que se tornou num modo de vida. Costumo dizer muitas vezes que se o Peso Pesado salvou a minha vida, o Crossfit mantem-me viva e é tão verdade.

TMC: Hoje és uma inspiração para milhares de pessoas. Como convives com isso?

Susana: Ser uma inspiração para tanta gente, enche-me de orgulho do meu percurso e dá-me mais vontade de continuar a lutar. É tão bom saber que a nossa historia faz a diferença na vida de alguém e que a minha mudança de vida, ajuda outras pessoas a mudar também.

Recebo muitas mensagens de pessoas que eu nem sequer conheço e que me agradecem por terem perdido 10, 20, 30 kg, dizem elas, por minha causa. E isso é tão bom, enche-me mesmo o coração.

E é por elas também que continuo a ir treinar para a Crossfit 351 todos os dias, que continuo a cuidar de mim, porque eu não quero jamais, que alguém diga:

“Se até a Susana desistiu, eu posso desistir também”.

Não, eu prefiro que as pessoas continuem a olhar para mim como uma inspiração e que continuem a acreditar que se eu consegui, qualquer pessoa consegue se acreditar e se lutar sem desistir.

TMC; Com base na tua experiência, quais as estratégias que propões a quem esteja interessado em ter uma vida mais saudável?

Susana: Eu acho que o primeiro passo para quem está interessado em ter uma vida mais saudável é querer mesmo genuinamente faze-lo. Não chega dizer que se quer, e continuar sentado no sofá, agarrado ao comando da TV. É preciso querer mesmo, lá do fundinho. E depois é preciso algo igualmente mais importante: ACREDITAR!! Nós temos que ser os primeiros a acreditar que somos capazes. Procurem ajuda de alguém que saiba o que está a fazer, mudem os vossos hábitos alimentares, mexam-se. Nem que seja fazerem umas caminhadas, irem passear o animal de estimação, qualquer coisa, mas mexam-se.

E eu sou suspeita, mas se tiverem oportunidade, dirijam-se a uma box de CrossFit próximo de vocês e experimentem um treino.

Posso dizer que depois do programa, foi a melhor coisa que me aconteceu.

Ao contrario do que acontece nos ginásios convencionais em que o treino é quase sempre o mesmo, no CrossFit o treino, é sempre diferente, o que faz com que estejamos sempre a receber diferentes estímulos e que tenhamos resultados mais rápidos, o que acaba por motivar bastante.

E depois tem o que mais me apaixona nesta “modalidade”. No CrossFit, todos puxamos uns pelos outros, ninguém fica para trás. Vão encontrar em qualquer box um grupo de treinadores e de companheiros que vão puxar sempre por vocês e ajudar-vos a atingir os vossos objetivos. É das coisas que mais nos define COMUNIDADE e o que mais me apaixona. Porque afinal “juntos, vamos mais longe”.

Se não o puderem ou o não quiserem fazer, tudo bem…desde que se MEXAM. Façam qualquer coisa por vocês e acima de tudo…Nunca DESISTAM. Desistir tem que ser uma palavra proibida no vosso dicionário. Acreditem em vocês mesmos. Foquem em pequenos objectivos, passo por passo, para conseguirem chegar à “meta final”. Se eu consegui, vocês conseguem também!!

TMC: O que pensas, hoje em dia, quando olhas para as tuas fotos de há uns anos?

Susana: É brutal olhar para trás!! Quem é aquela miúda?? (risos)

Não me reconheço. Olho muitas vezes porque me dá força.

Vejo vídeos do programa e não reconheço aquela miúda. Até a minha voz mudou.

Não foi só o meu corpo que mudou. Foi a minha cabeça, foi o meu coração. Foi a força com que encaro a vida e os obstáculos que me vão surgindo no caminho.

Hoje sou uma pessoa bem mais forte, física e mentalmente e vou continuar a olhar para trás as vezes que forem necessárias para me lembrar que não quero lá voltar.

TMC: Quais os teus principais objetivos atuais, Susana?

Susana: Quero continuar a cuidar de mim, a crescer como atleta de CrossFit. Participo na maioria das competições que vão surgindo no nosso país(mas calma que nem toda a gente tem que competir, o Crossfit é para toda a gente e adaptado a cada um), quero continuar a superar-me todos os dias que algo que esta modalidade permite. Há sempre qualquer coisa que podemos fazer melhor e isso motiva qualquer um.

Depois quero também crescer como coach de CrossFit. Não quero ser apenas uma inspiração, quero tocar de forma mais precisa na vida das pessoas, ajuda-las a serem pessoas mais saudáveis e consequentemente pessoas mais felizes. Porque é para isso que cá estamos, Para sermos felizes.

TMC: Se pudesses pedir mais de um determinado recurso interno (confiança, determinação, consistência, etc), qual é que querias ter ainda mais à tua disposição?

Susana: Sem dúvida Confiança. Acho que apesar de todo o meu percurso por vezes, em determinadas situações ainda sou muito insegura. Acho que duvido muitas vezes das minhas capacidades e isso trava de certa forma o meu progresso.

Acho que o confiarmos em nós e nas nossas capacidades e o medo de errar nos impede muitas vezes de ir mais longe e por isso pediria com certeza mais confiança.

 

 

Um milagre tanto é…

Um milagre tanto é algo que acontece como algo que não acontece. Soubéssemos nós de todas as coisas que não nos acontecem e entenderíamos que os milagres são constantes! E viveríamos, provavelmente, em estado de permanente gratidão.

Miguel Cocco – Hipnoterapeuta

12360187_10153264569753176_3419332414440634979_n

O Miguel Cocco é licenciado em psicologia e hipnoterapeuta. É especialista em ajudar pessoas através dos maravilhosos processos da hipnose. Escreveu o livro “Mude a Sua Vida com a Auto-Hipnose”, cuja leitura recomendo! Tem uma ampla experiência clínica, a que alia um número considerável de cursos e workshops onde ensina as suas técnicas. Tem tido um papel fundamental na desmitificação da arte da hipnose e da sua partilha em formatos facilmente utilizáveis por quem se decide a aprender, como a auto-hipnose.

Podes seguir o trabalho do Miguel através do seu site de Hipnose Clínica, da sua página no facebook, da página do Instituto de Hipnoterapia. Podes pedir informações diretamente ao Miguel através deste email.

TMC: Miguel, o que é hipnose e como pode ser útil num processo de desenvolvimento pessoal?

Miguel: A hipnose é um estado modificado de consciência. Todos nós passamos por essa mudança de estado ao longo do dia, desde que acordamos de manhã até irmos dormir à noite. Umas alturas estamos mais atentos aos nossos pensamentos, outras até damos por nós, mais tarde a dar conta de que estivemos num ‘modo’ automático o dia todo, como se houvesse uma parte de nós que controlasse esse piloto automático.Já sentiu isso em algum dos seus dias? É a essa parte que chamo de “inconsciente” ou melhor, o reservatório onde estão guardadas todas as nossas experiências, os conhecimentos, memórias e toda a sabedoria do nosso corpo/mente. A hipnose é um estado onde podemos ter acesso directo a essa zona maravilhosa da nossa mente, é a chave que abre essa porta e que permite potenciar o nosso próprio desenvolvimento pessoal tendo um acesso privilegiado aos nossos recursos interiores não só através desse estado de transe hipnótico mas também da nossa imaginação, intuição, com o poder da mente inconsciente como nossa aliada.

TMC: Em que tipo de atividades é que a hipnose pode ser utilizada como complemento?

Miguel: Eu comecei a utilizar na Psicologia clínica e com a experiência dos anos com meus clientes e alunos, ao dar-me conta do potencial e da abrangência desta técnica , iniciei uma viagem fantástica ao transportar a hipnose para outras áreas, tais como o Coaching, a Pedagogia, a Gestão, o Desporto, as Artes e tantas outras.

E como fazê-lo? Foi logo o meu primeiro desafio. Como vou ensinar hipnose a pessoas de outras áreas? E foi em resposta a esta pergunta, que comecei a interessar-me seriamente pela hipnose conversacional e principalmente pelos princípios que fazem com que a hipnose funcione.

TMC: Com a tua experiência na utilização da hipnose em contexto terapêutico, quais acreditas serem os benefícios mais fortes que promove nos teus clientes?

Miguel: Como terapeuta uma das minhas prioridades é levar cada cliente em direção ao seu pedido, ao seu objectivo mas com a maior autonomia possível. Se há uma razão para eles me procurarem então, devo ajudá-los a encontrar uma razão ainda maior para deixarem de vir. Dessa forma o ensino da auto-hipnose é um dos grandes trunfos que temos porque não só ajuda o cliente a entrar em transe como também ensina-o a fazê-lo por si mesmo, usufruindo assim de todos benefícios da hipnose. Benefícios como parar a mente, mergulhar no nosso interior, percorrer as nossas crenças, as nossas emoções e fazendo as alterações necessárias, as substituições saudáveis e encontrando as melhores soluções para os nosso desafios, quer sejam, querer parar de fumar, emagrecer e eliminar peso, potenciar a nossa confiança, aumentar a auto estima com também trabalhar outros assuntos.

TMC: Sei que te interessas muito pelas aplicações conversacionais da hipnose. Em que tipo de situações é que esta abordagem se torna útil?

Miguel: Realmente é verdade, os princípios da hipnose permitem que a hipnose seja utilizada nas conversas, tornando-as mais hipnóticas , mais influentes, mais significativas e com um maior alcance, quer seja na mensagem como na forma como comunicamos.

Sou suspeito, pois tenho encontrado em toda a comunicação lugar para sermos mais hipnóticos. Por exemplo como pai/mãe temos uma grande vantagem quando conhecemos os princípios da hipnose conversacional ao transmitirmos os nossos valores e as nossas ideias sem criar resistências aos nosso filhos, algo que se torna mais desafiante na adolescência., como alguns de vocês sabem tão bem.

Mas também ao querer transmitir a nossa opinião a nossa forma de ver o mundo, quer seja nos nossos relacionamentos como também nas nossas profissões. Já tive alunos desde advogados, terapeutas, desportistas, professores até músicos que têm com sabedoria integrado estes princípios e técnicas nas suas profissões com muito sucesso.

TMC: Escreveste um livro sobre auto-hipnose. Quem achas que pode praticar auto-hipnose e que tipo de treino é necessário para o conseguir fazer?

Miguel: Este livro foi escrito depois de ter escrito as 100 perguntas mais frequentes que me faziam em consultório ou sempre que o tema hipnose surgia. Depois percebi que seria mais interessante responder ao grande público essas dúvidas ao mesmo tempo que podia ensinar a fazer auto-hipnose e assim poderiam experimentar por eles próprios a sensação fantástica de estar em transe. Todos nós já fazemos auto-hipnose mesmo aquelas pessoas que provavelmente ao ler isto dizem para elas que não faço. É exatamente essa voz interior que fala connosco através dos nosso pensamentos, da nossa imaginação. Todos nós já nos hipnotizamos e desde muito novos que o fazemos. O que é um facto é que quando éramos crianças sonhávamos e parecia que não havia limites para as nossas potencialidades, mas os anos foram passando não foram? E parece que algo mudou, tornámo-nos adultos. Uns de nós mais rígidos, outros deixaram de acreditar. A Auto-hipnose é uma técnica que permite voltar a ter acesso a esse poder sem limites, só que dirigido, com foco. Estrategicamente direcionado para aquilo que queremos, ou melhor para aquilo que merecemos de forma saudável, realçando as nossas qualidades e transformando-nos numa versão melhor de nós próprios.

TMC: Para terminar, é mais difícil colocar as pessoas em transe ou tirá-las do transe do dia-a-dia em que muitas se encontram?

Miguel: É isso mesmo, pergunta difícil! Diria o melhor é ajudá-las a dirigirem- se para o transe que é mais benéfico para elas e que serve na realidade os seus valores e seus objetivos. Às vezes é necessário tirá-las do transe para poder depois devidamente hipnotizá-las!

Muitas vezes esperamos pelos milagres…

Muitas vezes esperamos pelos milagres, sem perceber que já estamos a vivê-los.

O maior problema é esperar uma vida sem problemas!

É tão frequente encontrar pessoas que sonham com uma vida sem problemas. Talvez aceitarem que ter problemas é “normal” possa ajudar a encerrar o problema de comparar a sua vida com essa expectativa irrealista.

 1916181_907312576052133_8100209626128555458_n

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑