Pesquisar

The Miracle Coach

Categoria

Entrevistas Inspiradoras

Diana Gaspar Duarte – Psicóloga

12119126_502266856598113_5869102760681826559_n

A Diana Gaspar Duarte é uma conhecida psicóloga, que tem inspirado milhares com a sua forma de olhar a vida. Nada melhor, para saber quem é, do que ler a apresentação que faz de si própria no seu blog:

“Nasci em Coimbra, tenho Coimbra no nome e em Coimbra vivo.
Sou mulher, mãe, psicóloga, amiga e feliz.
Adoro ser mulher.
Ser mãe, é de todos, o papel principal da minha vida.
Sou movida pelo amor, pela paixão e pela amizade sincera.
Os meus amigos são a família que escolhi.
Abraço a Psicologia Positiva na minha forma de ser e trabalhar. Trabalho com crianças, jovens e famílias. Amo o que faço.
Não sei viver sem o cheiro a livros, sem música e dança, sem saltos altos e sem sapatilhas nos pés.”

Para saberes mais sobre a Diana, consulta o seu blogue aqui, e acede à sua página do facebook (altamente recomendado).

Coloquei algumas questões à Diana e, como acontece quando contacto com o seu trabalho, dei por mim inspirado. Acho que vai acontecer o mesmo contigo:

 

TMC: Diana, o que é desenvolvimento pessoal para ti?

Diana: O desenvolvimento pessoal para mim é uma filosofia de vida, na medida em que foi a partir do momento em que percebi que quanto melhor me conhecia, melhor vivia comigo e com os outros. Comecei o meu caminho de desenvolvimento pessoal numa das alturas mais difíceis da minha vida e foi aí que percebi que quando me sentia sintonizada comigo pela intenção de sair de uma zona de sofrimento para uma zona de bem-estar, tudo fazia sentido e a vida ganhava outros significados. O desenvolvimento pessoal é uma porta aberta à intuição e ao amor, e acredito que os dois são os melhores antídotos para o medo e para o sofrimento.

TMC: De acordo com a tua experiência, o que motiva mais as pessoas: ultrapassar problemas ou melhorar as suas capacidades?

Diana: Pela minha experiência acho que a maior motivação vem da necessidade de ultrapassar problemas. Ainda estamos, como sociedade, num patamar em que, mais do que melhorar capacidades, desejamos não sofrer. Somos a sociedade do “mais-ou-menos” e do suficiente, e não uma sociedade voltada para o bom ou muito bom, se me faço entender. Desejo que o foco mude!

TMC: Quais são os 3 problemas mais típicos das pessoas que procuram a tua ajuda?

Diana: Sou uma privilegiada porque tanto acompanho crianças e jovens como adultos tendo o meu cliente mais velho 65 e o mais novo 3 anos. No entanto, vou percebendo que os problemas são os mesmos, dada a influência dos pais e da família na construção metal e emocional das crianças e dos jovens. Considero que o medo do amanhã, o sentimento de culpa e a necessidade de corresponder às expectativas familiares e sociais são os problemas mais fortes.

TMC: Há diferença na forma como homens e mulheres abordam o desenvolvimento pessoal?

Diana: As mulheres são mais interessadas pelo desenvolvimento pessoal e mais proativas na procura de ajuda para essa necessidades, mas vou observando que, embora os homens não procurem tanto, são mais focados, acabando, assim, por atingir resultados mais rapidamente.

TMC: O que dizer a alguém que se encontra desmotivado ou deprimido? E como dizê-lo?

Diana: Primeiro convidava-a a levantar a cabeça, a colocar as costas direitas e a olhar em frente, e convidava-a a fazer comigo vários ciclos de respiração. Como me disse um cliente de palmo e meio há pouco tempo: “o que me tem safado é a respiração” 🙂 Depois de estar mais energizada através da respiração, dir-lhe-ia que tem uma voz dentro de si que a leva a estar assim, e que a sua voz interior podia ser a sua melhor ou pior amiga. Se estava deprimida, certamente trazia uma voz muito pouco amiga. Partindo do principio que viver é muito bom e uma experiência maravilhosa, convidava-a a ouvir-se, a observar-se e a transformar a sua voz na sua melhor amiga. Tudo o que sentimos começa pelas lentes com que olhamos e pela voz que trazemos dentro de nós.

Anúncios

Jorge Coutinho – Coach

11825004_980512868646157_7202903462672577097_n

O Jorge Coutinho é um reconhecido coach português, que faz parte da equipa do aclamado Anthony Robbins. Coloquei algumas questões ao Jorge e acho que vais adorar as suas respostas – vêm do coração, tal como todo o trabalho que o Jorge faz. Podes inspirar-te na sua Página Facebook do Jorge Coutinho e também na página da sua empresa, a Becoach.

TMC: Jorge, o que é coaching para ti?

Jorge Coutinho: Coaching tem a ver com fechar o “gap”. Para isso, primeiro o Coaching vai-te te levar a analisar e a reflectir numa, ou mais áreas da tua vida, onde as mais comuns são por exemplo: Equilíbrio Vida e Trabalho, Alimentação e Saúde, Evolução de Carreira, Desenvolvimento Pessoal, Amigos e Família, Tempo Livre e Hobbies, Finanças Pessoais e Relacionamento, onde te encontras e onde pretendes estar. Isto seria a explicação teórica, mas o Coaching para mim e a forma como o vejo, aplico na minha vida e o proporciono aos meus clientes tem a ver com muito mais que isso. Tem a ver com tu rescreveres a tua história. Todos nós hoje em dia temos vidas que nos fazem andar a 1.000 em termos pessoais e profissionais, levando-nos por vezes a perdermos o foco daquilo que é verdadeiramente importante: VIVER e SER Feliz. Por isso quando trabalho com líderes e executivos de topo, como CEO’s e Directores de Multinacionais e Grandes Empresas Nacionais, o objectivo embora sendo profissional, ou seja melhorar algum skill ou competência directamente relacionado com a sua função, o objectivo primordial é sempre melhorar o EU, e identificar possíveis limites, vulgo “estórias”, que todos temos e contamos a nós próprios porque não podemos ter, fazer ou ser algo. O Coaching, que na sua vertente “Life” ou “Business” vai-te levar sempre a conectar-te com a tua melhor versão de ti. Ainda assim um Coach não vai fazer milagres na tua vida, o Coach vai ser o teu parceiro na jornada de crescimento e a responsabilidade dele é não “comprar as tuas estórias” e ajudar-te a identificar que aquilo que julgas que são os teus limites, não são os teus limites. Ainda assim, e para que isso aconteça, tu tens que assumir a tua parte no processo, os teus 50% de responsabilidade. E o primeiro passo, passa por estares “Coachable”, ou seja disposto a sair da tua zona de conforto e a dar um passo de fé rumo ao teu crescimento como pessoa e como líder.

TMC: De que forma é que utilizas o coaching no teu dia-a-dia?

Jorge Coutinho: O Coaching está presente no meu dia-a-dia desde o minuto em que me levanto até ao minuto em que me deito. Desde o meu “prime” – rotina matinal – até ao exercício de Aprendizagem e Gratidão que faço antes de dormir. Para que possas compreender melhor vou-te descrever um pouco melhor um dos meus dias. Acordo sempre bastante cedo, normalmente entre as 5h00 e as 5h30, depende sempre do plano que tenho para esse dia. Ou começo com uma hora de corrida, ou nos dias de descanso faço exercícios específicos de reforço muscular e respiratório. Após o exercício, introduzi recentemente a Meditação – Mindfulness – nos meus hábitos diários, pois senti que precisava de um ou mais momentos ao longo do dia para silenciar a mente, e me conectar comigo. Tendo em conta a intensidade dos meus dias, e para evitar a perda de foco, encontrei na meditação uma forma de me ligar ao que verdadeiramente é importante para mim naquele dia. Após o Pequeno-Almoço é tempo de olhar para a agenda do meu dia e perguntar-me “qual o resultado que quero obter do meu dia?”, não opero por tarefas, em consequência do Coaching opero por resultados. Ao longo do dia quer esteja em Coaching via Skype no meu escritório de casa, ou em Coaching “one-on-one” no escritório ou na empresa de um cliente, ou ainda a entregar alguma acção de formação ou palestra, estou permanentemente a analisar e medir o resultado que estou a obter, como o intuito de ter presente se está de acordo com o objectivo pretendido para esse dia. Assim, posso fazer de imediato correcções a alguma estratégia que esteja a utilizar, garantindo assim sempre o meu resultado e do(s) meu(s) cliente(s). No final de alguns dias ainda faço um treino bi-diário de CrossFit ou Ginásio para descomprimir do dia e deixar alguma energia menos positiva que tenha acumulado ficar no treino. No final da noite e antes de me deitar tenho o hábito de ler um mínimo de 30 minutos. Para fechar o dia e antes de adormecer faço uma retrospectiva do meu dia, procurando motivos para celebrar o meu dia, para aprender com algo que vivi nesse dia e aplicar isso como melhoria e finalmente faço um exercício de Gratidão onde procuro 3 coisas pelas quais estou e sou Grato nesse dia. O que tem tudo a isto a ver com Coaching? TUDO! É o Coaching e a utilização que faço dele em mim – eu sou o meu cliente nº1 – que me torna possível tirar o máximo partido dos meus dias, rentabilizando ao máximo os meus dias através do foco naquilo que verdadeiramente é importante para mim.

TMC: Com a tua experiência no ensino de coaching, qual achas ser o maior obstáculo para novos coaches?

Jorge Coutinho: Eu diria que existem vários. Sendo que um deles é a criação de expectativas irrealistas. Explico-te um pouco melhor. Hoje em dia o termo Coaching, é um termo corrente, existindo até por vezes um “abuso” da forma como é utilizado e praticado. Quem pretende abraçar a carreira de Coaching necessita de desenvolver a consciência que, como em qualquer outra profissão ou carreira, é necessário tempo e investimento para singrar. Não podes esperar investir alguns milhares de Euros numa Certificação e chegares ao mercado e singrares de um dia para o outro. Precisas de tempo. Precisas de dedicação. Precisas de compromisso. Precisas de ter resiliência e perseverança. Precisas, mais do que em qualquer cliente, utilizar o Coaching em ti próprio! Precisas de ser integro e congruente com a carreira que queres abraçar. Para isso ter um plano e… um COACH é fundamental!!! Conheço demasiados Coaches que não têm um Coach. Para mim, TU precisas de ser o maior exemplo para o teu cliente e além disso és Humano, por isso vais ter os mesmos desafios e as mesmas áreas de desenvolvimento que os teus clientes. Acima de tudo, e como mencionei atrás, precisas de SER congruente e integro. E integridade não tem a ver com aquilo que mostras publicamente, a integridade tem acima de tudo a ver com aquilo que tu decides ou não fazer em privado.

TMC: Quais as 3 principais competências de um coach que ajuda os seus clientes a entregarem resultados?

Jorge Coutinho: Integridade, Congruência e Resultados. Integridade, no sentido que precisas de viver os teus valores. Já experienciei situações caricatas, e digo isto em total ausência de julgamento apenas e só constatando factos, onde por exemplo um Coach Nutricional promovia os seus serviços sendo que ele estava uns kilos – bastantes – acima da forma física. Ou um Coach de Finanças pessoais com problemas, ou melhor, com desafios de endividamento. Congruência, como diz um dos meus Mentores Keith Cunningham, “tens que comer o que cozinhas”. É quase um complemento ou até replicação do que acima mencionei. A tua vida tem que ser um reflexo da tua carreira. Tu como Coach tens acesso às melhores skills, às melhores competências e às melhores best practices, por isso como Coach é também tua obrigação aplica-las. É preciso lembrar que antes de Coach és Humano e por isso vais ter momentos menos bons e vai ser nesses momentos que a vida te vai dar a oportunidade de colocares em prática em ti, aquilo que praticas com os outros. Resultados, mais uma vez uma consequência dos dois pontos acima mencionados é a criação e geração de resultados. A tua vida precisa de ser um reflexo das tuas práticas. Para poderes entregar resultados aos teus clientes, e esses resultados vão ser o teu melhor marketing de vendas,tu precisas de ter resultados na tua vida. Sem resultados não existe Coaching…

TMC: Com o contacto que tens tido ao longo dos anos com o Anthony Robbins, o que achas que faz dele, para muitos, o melhor coach do mundo?

Jorge Coutinho: Além dos anos de experiência, 38, sem dúvida alguma é intensidade e o foco que ele coloca em qualquer Resultado que se propõe obter, seja a escrita de um livro, a facilitação de um evento ao vivo ou ao trabalhar individualmente com uma pessoa. Tive a oportunidade de conhecer o trabalho do Tony como participante de um dos seus eventos em Março de 2007 e mais tarde em 2010 tornei-me parte da sua Equipa de Results Coaches e mais recentemente parte também da sua Equipa de Trainers. Com isto fui criando mais proximidade com o seu trabalho, com o seu lado profissional e pessoal. Nos três identifico total Integridade, Congruência e Resultados. O Tony, como ele costuma mencionar, é o “tipo dos porquês” – the why guy – e o porquê maior dele, aquilo que o move, e que o fez criar a metodologia CANI – Constant and Never Ending Improvement, é “como consigo fazer melhor?”. É a sua intensidade e esse seu compromisso que o torna diferente, único e distinto dos demais que actuam na mesma área.

 

Se ainda não o fazes, liga-te ao Facebook do The Miracle Coach e segue também este blogue, ok? Nas próximas semanas vou revelar-te mais fazedores de milagres, como o Jorge e vou oferecer-te o ebook “3 Passos Para Fazeres Milagres na Tua Vida”, regista-te aqui para seres dos primeiros a recebê-lo!

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑